Polícia prende morador de Camaquã por “gato” de energia elétrica

O morador de uma residência na rua São Valentim, no bairro Getúlio Vargas, em  Camaquã, foi preso por furto qualificado de energia elétrica nesta terça-feira (29). A  ação foi realizada por agentes da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento e contou
com a colaboração dos técnicos da CEEE que atuam em Camaquã.

Conforme técnicos da concessionária de energia, foi constatato reincidência de  irregularidade na instalação, o que gerou a ação conjunta que, além da prisão, envolve a  abertura de processo administrativo de cobrança pelo consumo não faturado. A CEEE intensificou a partir deste mês as ações de combate ao furto de energia através  da campanha “Fez Gato, Pagou o Pato” e que está em excução em toda área de
concesão da concessionária.

O projeto de combate ao furto envolve investimentos em tecnologia e reforço de equipes  e tem o objetivo de melhorar a qualidade da energia elétrica aos clientes regulares e  reduzir perdas da Companhia. Entre as ações, o programa inclui a instalação de um Sistema de Medição Centralizada  (SMC) junto a 45 mil unidades consumidoras de locais considerados de vulnerabilidade  social em municípios da área de concessão e outros 11,7 mil pontos com medição  indireta. Estes projetos envolvem 53% do faturamento da Companhia.

As iniciativas contemplam, também, a realização de mais 89 mil fiscalizações ao ano na  área de concessão da CEEE, além das cerca de 35 mil executadas atualmente, com  análises de unidades consumidoras, corte de desvios e irregularidades.

Furto de energia é crime, previsto no Artigo 155 do Código Penal, com pena que pode  variar de dois a oito anos de reclusão.
Todos os detalhes sobre a campanha estão disponíveis no hotsite  www.fezgatopagouopato.com.br, espaço onde qualquer pessoa pode denunciar, de  forma anônima, e cujos dados serão recebidos e avaliados pelas equipes da CEEE.

Fonte: jornalecodojacui.com.br